UBES

2º ENG MARCA COBRANÇA DOS ESTUDANTES PELA REFORMA ESTRUTURAL DO ENSINO MÉDIO

Painel "O Novo Ensino Médio" durante 2º ENG

O novo ensino médio foi uma das principais bandeiras debatidas pelos estudantes durante o 2º Encontro Nacional de Grêmios da UBES em um dos painéis da programação no último dia 19/01, em Recife (PE).  Segundo os estudantes, a etapa escolar é deixada de lado pelas políticas públicas e deixa a desejar na formação da juventude.

“Qual é o papel do ensino médio? Ele não te prepara para o mercado nem para a universidade, porque você sai do ensino médio e tem que fazer cursinho. Muito menos prepara para a vida. Muitos deixam a escola sem saber ler e escrever direito”, comenta Manuela Braga, presidenta da UBES. Ainda segundo a dirigente estudantil, o país avançou em políticas de inclusão para o ensino superior, deu ênfase aos primeiros anos da educação, “e esqueceu-se do ensino médio”.

PAINEL É DESTAQUE AO REUNIR REPRESENTANTES DA EDUCAÇÃO EM DEBATE COM ESTUDANTES DE TODO PAÍS

 Com a sala cheia, secundaristas de norte a sul do país construíram durante o 2º ENG da UBES o painel “O Novo Ensino Médio” com alto nível de debate e participação. A mesa foi composta por Aurélio Molina, da Secretaria de Educação de Pernambuco; Sandra Garcia, Coordenadora Geral do Ensino Médio da Secretaria de Educação Básica do MEC; Wilson Filho, Deputado Federal (PB) e Relator da Comissão Especial de Reformulação do Ensino Médio, e Márcia Lucena, Secretária Estadual de Educação da Paraíba.

“Pensar o novo ensino médio é tratar a evasão escolar e a formação dos professores. O problema é a sobreposição de conteúdo, e não das disciplinas; é preciso formar professores com novas perspectivas para formarmos jovens emancipados”, afirmou Sandra Garcia, ao defender que o “ensino médio precisa de atenção do MEC para que seja inovador e estratégico criando a unidade da educação no país”.

Márcia Lucena reafirmou a importância do grêmio estudantil no processo de construção da Nova Escola pautada pela UBES: “Quando pensamos em escola para juventude precisamos pensar em uma escola viva, com diferentes possibilidades para receber sua diversidade. A instância política que precisa haver para isso é a cidadania, e esse é o papel do grêmio ativando a consciência de lugar”, defendeu.

O mesmo disse Aurélio Molina ao defender os 4 pilares que perpassa essa transformação, tendo como base as ideias do programa Ganhe o Mundo, implantado pelo governo de Pernambuco, que ofertará aos estudantes do ensino médio da rede pública estadual cursos de idiomas em inglês e espanhol, além de intercâmbio internacional com países de língua inglesa e espanhola:

“Tudo se transforma, inclusive o Ensino Médio; tudo muda; para transformar é preciso a polaridade, o contraditório; o acumulo de ação resulta soluções qualitativas” atestou dizendo aos secundaristas que “a mesma pressão que fizemos pelos 10% do PIB para educação deve aumentar e tomar as ruas” rumo aos questionamentos feitos ao ensino das salas de aula de todo Brasil que pedem por mudanças.

Veja abaixo, algumas intervenções de secundaristas durante painel.

Advertisements
Standard

Dê a sua opinião e ajude a construir uma UBES cada vez mais forte!!!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s