UBES

Presidente do Chile diz que 70 mil secundaristas chilenos perderão ano letivo

Nesta segunda (19), o presidente do Chile, Sebastián Piñera, declarou que 70 mil estudantes do ensino médio perderão o ano letivo. Esses jovens e os estudantes universitários estão mobilizados desde maio para exigir uma melhor educação pública, gratuita e de qualidade, situação que na maioria dos casos se traduziu na tomada de colégios e universidades e na paralisação das aulas.

Do Portal Vermelho

Piñera disse que esses estudantes, que representam 2% do total de matriculados em todo o país, “não quiseram nem facilitaram o caminho”, ao rejeitar inscrever-se em um programa estatal para finalizar o primeiro semestre do curso em outros colégios. O presidente fez as afirmações em entrevista à Televisión Nacional de Chile.

“É muito doloroso ver como 70 mil crianças perderão seu ano letivo, mas um presidente tem que se preocupar pelos três milhões e meio de estudantes e colegiais que precisam iniciar o segundo semestre e seguir avançando”, indicou.

A Confech (Confederação de Estudantes do Chile) expressou nesta semana seu rechaço à resposta do governo, que rejeitou duas das quatro condições colocadas pelos jovens para iniciar um diálogo. As condições rejeitadas pelo governo são flexibilizar o semestre acadêmico nas universidades e frear o envio ao Congresso de projetos de lei relativos ao ensino.

Sobre este último aspecto, Piñera disse não compreender a rejeição dos universitários a duas iniciativas legais “que vão ao vivo benefício dos estudantes”.70 mil estudantes representa 2% dos secundaristas do país, para garantir

Quem serão os 70 mil secundaristas?

O porta-voz dos estudantes secundaristas do Chile, Freddy Fuentes, pediu para que as autoridades especifiquem quem são os 70 mil alunos que representam 2% do total de 2,5 milhões de secundaristas.
Em entrevista à rede estatal Televisión Nacional de Chile (TVN), Fuentes afirmou que “queremos que [as autoridades] sejam específicas no momento de dar esses anúncios”. Ele diz que ainda não está claro quem são esses estudantes e que a solução seria um plano que envolvesse diálogo entre a direção dos colégios e os professores.
O dirigente também criticou o plano “Salvemos o Ano Letivo”, garantindo que ele exclui alguns estudantes, que não leva em conta os estágios profissionais e que desde o começo “era pouco provável de funcionar”.
O porta-voz da Coordenação Nacional dos Estudantes Secundaristas, Rodrigo Rivera, concordou que “a situação é um pouco menos complexa do que o governo quer mostrar”. Os estudantes entregarão durante o dia de hoje sua resposta às propostas do governo.

Anúncios
Standard

Dê a sua opinião e ajude a construir uma UBES cada vez mais forte!!!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s