UBES

ENEM 2013: MEC DISPONIBILIZA CORREÇÃO DAS REDAÇÕES, UBES INSISTE NO DIREITO À REVISÃO DE NOTA

ENEM_Protesto

Após grande entrave, a partir de hoje (6), os estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio 2012 (Enem) terão acesso à correção. A verificação, que pode ser feira pela página oficial serve apenas como análise pedagógica sem possibilidade de recurso para obter nova avaliação dos resultados.

Em comentário, o diretor executivo, tesoureiro da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Pedro Henrique, afirma que “esse é um dos grandes gargalos do ENEM, como aconteceu no início do ano”; estudantes de todas as regiões do país recorreram à Justiça para conseguir acesso à correção antes do período de inscrição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), pelo qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a candidatos participantes do Exame. Veja o comentário:

“O ENEM foi criado em 1998 com o objetivo avaliar a qualidade do ensino médio no país, em 2009 ganhou nova função de selecionar os estudantes para os cursos superiores, se tornado assim um grande vestibular. No ano passado cerca de 6 milhões de estudantes se inscreveram para o ENEM que teve número record de escritos, 120 mil vagas em todas as 59 universidades federais, e em várias universidades estaduais do país.

O vestibular unificado serviu para acabar com a decoreba do antigo vestibular, e o estudante de qualquer estado do Brasil que fez o ENEM passou a concorrer a qualquer vaga em qualquer universidade que queira ingressar dentro do território nacional, deixando evidente sua relevância no acesso ao ensino superior.

Nesse cenário que a UBES e todo movimento educacional tem visto progresso, no ano passado o Congresso Nacional aprovou e a presidenta Dilma sancionou o projeto de lei que garante 50% de vagas por curso e turno em todos os cursos nas universidades federais, essa foi uma grande conquista dos estudantes brasileiros, democratizando de fato o acesso à universidade aos filhos de todas as classes.

Hoje é importante pautar sim o Ministério da Educação, mesmo com os avanços, enfrentamos um grande problema com a correção da prova do ENEM, que não nos deu nenhuma segurança quanto ao nosso desempenho, assim como os critérios também não estão claros. O fato de ter uma nova correção implica em ficamos à mercê do prazo de reavaliação e de toda tramitação jurídica, esta que não leva em conta as especificidades de nós, estudantes, que em boa parte perdeu o prazo de inscrição do Sisu, por exemplo. Esse é um grande gargalo que a prova do ENEM tem hoje e que o MEC precisa corrigir, para que no próximo ano não sejamos mais prejudicados”, defende.

Em nota, o MEC diz que os “critérios de correção das redações do Enem foram aperfeiçoados e são mais rigorosos”. Segundo a pasta, os textos produzidos pelos candidatos passaram por dois corretores de forma independente e foram avaliados segundo cinco itens de objetividade. Caso haja diferença maior que 20% na nota final entre esses dois corretores, a redação é lida por um terceiro corretor. E se, ainda assim, a discrepância persistir, ou seja, a diferença entre as três notas for superior a 200 pontos, a dissertação passa para uma banca examinadora composta por três professores avaliadores, que dão então a nota final ao participante.

About these ads
Standard

Dê a sua opinião e ajude a construir uma UBES cada vez mais forte!!!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s